sábado, 21 de maio de 2011

Sempre há um novo dia


Eu nunca tive uma noite de sexta-feira tão inesperada quanto a de ontem.
Passei o dia inteiro preparando uma surpresa para a minha recente ex-namorada, e aguardando ansiosamente pela chegada dela em casa para ao menos vê-la bem e feliz. Só que de tanto aguardá-la, eu decidi que ia sair, pois a demora para a chegada dela em casa estava demais, e eu definitivamente não queria ficar aguardando por ela a noite inteira, sozinha, e completamente "down". Tenho sentido muito a falta dela ao meu lado como mulher, afinal, eu sei que tenho a amizade dela a qualquer momento. Sinto falta dos carinhos, dos olhares, dos beijos intensos, dos toques de desejo, do seu jeito sedutor, etc.
E ontem o tédio estava tomando conta do meu ser, eu precisava realmente sair. E quando eu finalmente decidi, ela liga para casa e diz que já está a caminho; contudo, eu como uma mulher apaixonada voltei atrás na minha decisão e resolvi ficar com ela, em casa.
Moral da história... Ela chegou, eu resolvi ir somente a padaria comprar uma cerveja, ela resolveu ir comigo pois achou que eu estava escondendo algo, e mais uma vez acabamos discutindo depois. Creio que eu tenha dito coisas as quais ela não pretendia escutar, da mesma maneira em que ela me disse coisas as quais eu não pretendia escutar.
Depois de mais uma discussão, eu fui dormir pois o clima estava tenso, e durante a noite tive um pesadelo que me pareceu muito real e eu não conseguia acordar. Fiquei vivenciando traições, mentiras e omissões, e os meus sentimentos estavam sendo feridos mesmo que em um sonho ruim. E quando consegui acordar, virei para o lado, olhei para ela dormindo e não parei de chorar, e chorar, e chorar, e chorar...
Tentei me acalmar, e consegui. Voltei a dormir e hoje acordei com um sentimento muito estranho, porém profundo. Àquela angústia em que senti durante a noite se transformara em silêncio, em observações, em olhares.
E agora, eu estou ao lado da mulher da minha vida, e ela está dormindo calma e tranquilamente. Eu sei que a amo, eu sei que a quero bem, porém quero também alguém que me ame e que me queira bem. E fica a dúvida... Será que um dia ela irá me amar como eu a amo?
Sinceramente, eu não tenho a mínima idéia se isso irá acontecer, e também não vou ficar criando falsas expectativas, pois nem namorando estamos mais...
Eu só sei que vou aprender a ser forte, a não deixar me abater por qualquer sonho, ou por qualquer motivo em que alguém me dê.
Estou voltando a morar no RJ, a falta dela vou sentir de fato, mas vou ter que me acostumar!!! E mesmo que ela jamais se encante por mim, ou jamais sinta o que eu sinto, vou continuar vivendo e crescendo por mim e para mim, pois sempre há um novo dia para nos levantarmos de uma queda, seja ela qual for, e seguirmos em frente.
Como diz o ditado popular "O que não mata, me fortalece e ensina a viver!".

Nenhum comentário: