quarta-feira, 15 de junho de 2011

Aprendizados


Eu tenho pensado muito sobre tantos assuntos, mas acredito que ainda não seja o momento de desenvolvê-los. Estou buscando o equilíbrio entre os meus "eus", ou seja, tentando me reencontrar diante de tantas novas experiências... Não que sejam ruins, pelo contrário! São novos aprendizados, novas descobertas, um novo modo de vida.
Livre como borboletas, e nada mais justo do que colocar essa imagem.
As borboletas têm a própria liberdade, mas também necessitam de estar em grupo. E acredito que neste momento é assim que me sinto. Livre, liberta, mas precisando de uma coletividade que ainda não encontrei.

"O amor é o ridículo da vida. A gente procura nele uma pureza impossível, uma pureza que está sempre se pondo, indo embora. A vida veio e me levou com ela. Sorte é se abandonar e aceitar essa vaga idéia de paraíso que nos persegue, bonita e breve, como borboletas que só vivem 24 horas. Morrer não dói." Cazuza

Nenhum comentário: